Um conto que é um tesouro


E-mail this post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Novo audiolivro da BOCA já disponível em mp3

O Tesouro

Mestre no romance, Eça de Queiroz condensa com elegância a sua escrita minudente para fabricar uma pequena história, aguçando o enredo, armando ao leitor emboscadas, deixando-o em poucas páginas suspenso ou abismado.
A voz inquietante de Fernando Alves e a atmosfera metálica criada por Amélia Muge e António J. Martins valorizam toda a tensão narrativa deste conto, em que três irmãos, “os fidalgos mais famintos e remendados de todo o Reino das Astúrias”, encontram, escondido num bosque, um tesouro que num só dia os leva a conhecer um destino assombroso.
O Tesouro foi primeiro publicado na Gazeta de Lisboa, em 1894, e depois reeditado, juntamente com outras narrativas breves de Eça de Queiroz, num volume dado à estampa em 1902 (Porto), sob o título Contos.

Eça de Queiroz

«Eça de Queiroz, minha senhora, é essencialmente, molecularmente - desde a medula dos ossos até os poros da pele -, o que se chama um artista.
(…) A sua natureza provém — por hereditariedades, por atavismos, por coesão magnética, por outras forças cósmicas por enquanto desconhecidas —, de várias naturezas diversas: anjo, mulher linda, mulher velha, sibarita, herói, libertino e santo.»

Ramalho Ortigão


Fernando Alves

A vocação impôs-se cedo. Aos 16 anos já Fernando Alves tinha encontrado a sua primeira oficina no Rádio Clube de Benguela.
A voz profunda, a dicção sensível, o entendimento poético do quotidiano noticioso aproximaram muitas vezes o jornalista da arte e os ouvintes da comoção, em programas que fizeram história e escola na rádio portuguesa. São exemplo “Búzio Ardente” na RDP, ou “Os Dias Andados”, “O Postigo na Noite”, “A Espuma dos Dias” e “Avenida de Ceuta N.º 1” na TSF – Rádio Jornal, estação que ajudou a fundar. Ali coordena o magazine de informação A Semana Passada e regista, desde há 12 anos, os “Sinais”, crónica diária antologiada pela Oficina do Livro em 2000. Em 1994 foi distinguido pela Casa da Imprensa com o Prémio Bordallo da Rádio.


Ficha técnica:

Voz: Fernando Alves
Concepção de base sonora: Amélia Muge
Pesquisa sonora, execução e gravação: António J. Martins


Disponível no nosso site em www.boca.pt

O Tesouro de Eça de Queiroz
Preço 4,90 € (download)


1 Responses to “Um conto que é um tesouro”

  1. Blogger 日月神教-任我行 

Leave a Reply

      Convert to boldConvert to italicConvert to link

 


About me

Previous posts

Archives

Bocas de Incêndio

Boqueirões


ATOM 0.3